segunda-feira, 11 de julho de 2016

Meninas

Ah, meninas com seus temas
Suas vidas, seus problemas
Sempre cheias de passado
Ser menina é seu pecado

Ah, vida estranha
Vida menina, menina que arranha
Seus céus de medo
Tristes versos e enredos

Ser menina e aceitar
Cruel fado
Cresce sem nada mudar

Olha pra trás e esquece
Esquece menina
O sol logo te aquece

Vai em frente
Vai menina
Sem chorar
Menina penitente

Olha pra frente e busca
Ser menina, lembrar menina
De laços afáveis
Corre o tempo em sua luta

Sempre foi e sempre será
Linda menina
Avó menina
Lembrança menina




sexta-feira, 8 de julho de 2016

Feridas e o tempo

Claro que ele não cura nada
Ele é mágico
Uma impressão apenas
De seres tão humanos
Que acreditam no tempo

A percepção errônea
Não existe foi e será
É e não virá
Hoje. Agora.

Disputa incoerente
Sem volta
Porque nunca houve
Só lembranças

Filmes
Romances
Música
Nada real
Nada normal

Dias e noites
Fontes e horizontes
Na horizontal

Redemoinho

Apenas cicatriza
Dores abertas

Dia sim
E também
Assim
No tempo.



terça-feira, 5 de julho de 2016

terça-feira, 21 de junho de 2016

Meia noite

Ah, como tua ausência dói
Meu ar rarefeito
Esqueço de respirar

Ah, como anseio tua volta
Tua boca na minha
Teu corpo no meu

Ah, sentimentos de angústia
Horas sem nexo
Esperando, esperando, esperando

Ah, como sonho
Magia do reencontro
Conto de fadas ao contrário

Ah, soar da meia-noite
Você e eu novamente
Num eterno final feliz.

sexta-feira, 3 de junho de 2016

Capricórnio - autor Danilo Oliveira

"Capricórnio"
Como desvendar os segredos de um coração capricorniano?
Somos fortes a ponto de derrubar uma muralha e ao mesmo tempo fracos sob a brisa de um olhar.
Temos como forte característica a sinceridade, as vezes somos rudes nas palavras, por muitos motivos, como a decepção.
No Amor a gente se entrega de tal forma, que mesmo com uma só perna, cruzamos oceanos em busca dos nossos objetivos, mas acabamos frustados por um sentimento.
Contudo, antes mesmo do sol nascer, ja estamos renovados, pois a coragem é para poucos, dessa forma,vamos a batalha, olhando para um único ponto, o horizonte, pois lá está o nosso objetivo.

Agradeço ao poeta Danilo Oliveira pelo empréstimo!

quinta-feira, 26 de maio de 2016

Gato Mel

Era uma vez
Da sorte um gato
Felino arisco
Achado no mato

Suave de gestos
Tão nobre gentil
Guloso sapeca igual
Não se viu

A noite no escuro
Saia explorar
Apartamento de encantos
Para conquistar

A mulher com o violão
Começava a tocar
Só rock pela noite
E ele a escutar

Um dia já dormindo
As cordas a soar
Ela levanta
Para espiar

O gato travesso
As patinhas arranhando
Nas cordas do violão
Num rock miando.


terça-feira, 17 de maio de 2016

Lágrimas de criança.

Hoje chorei
Com a alma de criança
Afastada de seu pai

Hoje chorei
Pela maldade humana

Hoje chorei
E ninguém viu minhas lágrimas

Hoje chorei com lembranças
Dos anos que me roubaram

Hoje chorei pelas crianças
Que choram por seus pais

Chorei pelas que são até
Impedidas de chorar

Chorei por que já fui criança
E hoje, pros braços dele já não
Poderei voltar.