domingo, 16 de julho de 2017

Fim

Sonhei que havia morrido
E senti cada detalhe
Tive um pequeno arrependimento
E a sensação de que tudo terminava
Contrariando minhas crenças uma certeza de finitude
Coisa estranha
Meus pensamentos momentaneamente apagaram
Acordar foi quase um renascimento.

segunda-feira, 10 de julho de 2017

PONTAL DO PARANÁ

PONTAL DO PARANÁ                                                                           Letra e melodia:
                                                                                                                   Desiveloso
                                                                                                                   Tom: G
                                                                                                                   Tempo 88
                                                                                                                   Voice piano 001
                                                                                                                    Style reggae 66

                                                                                                                   
                                                                                                                  
Sempre que pensar naquele azul
e subir nas nuvens pra pensar
vou lembrar do céu, da praia e o mar
e no tempo sonho divagar

E o sol
Brilhando o sol, o céu azul e o mar.
E o sol, a areia, a Ilha, o sol e o sal do mar

Sempre que voltar ao modo amar
e descer ao vento pra voar
vou levar você dentro de mim
e cantar nas ondas devagar

E o sol
Brilhando o sol, o céu azul e o mar
E o sol, a areia, a ilha, o sol e o sal do mar


quarta-feira, 21 de junho de 2017

Em nós

Não existe mais nenhuma música
Para descrever o que eu sinto
Nem as que eu mesma escrevi
Não existe mais nenhuma música
Para escrever do que sinto
Se é que um dia existiu
Aprendi a acelerar
E isso vem bem antes de freiar
Não existe nem seguir nem olhar pra trás
O horizonte ficou preso no mapa
Nem sei porque busco coisas
Eu sei nem é pra mim
Neste tosco remendo de frustração
O frio arde porque a cama é grande para alguém só
Ah, se um dia pudesse dizer o que eu digo
Não diria mais nada
Tenho certeza
A música estaria em nós

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Vontade de você

De repente
Aquela vontade de você
De deitar nos teus braços
Fechar os olhos e esquecer
De repente
Aquela sensação de querer ter
Beijos e você apertado no meu corpo
Frio no ar e calor no desejo
Vontade de te agarrar
Vontade de rolar
Vontade de esquecer o mundo
De repente te seguro
De repente te engulo
De repente sou parte tua até o dia amanhecer
Vou colocar um Led pra tocar
Vou sonhar que você está aqui
Nem ligo, se esta noite eu nasci pra me
Apaixonar por você



segunda-feira, 5 de junho de 2017

Anjo

Eu tive um anjo
Com asas enormes
E ele sabia voar
Eu tive um anjo
Que em duas rodas
Voava ao me acompanhar
Ele me salvou das trevas
Das lágrimas brotando da terra
Eu sentia o abraço, o afago
A proteção
Eu sentia o calor, o abraço
Saudades
Minha moto esquecida num canto
Cheia de pó
Sem você não sei voar
Sem você não vou voar
Fico tonta fico sem ar
Sem meu anjo não posso voar.

segunda-feira, 6 de março de 2017

Capricorniana

Pode me chamar
De coração de gelo
Se quiser
Mas eu sei amar

É, eu tenho coração
Coração, Coração

Amo com uma intensidade
Que você não pode imaginar
Tenho reino próprio
Minha própria cidade

Construí em sonhos
Mas com os pés no chão
Sou capricorniana sim
É, eu tenho coração

É, eu tenho coração
Coração, coração

Não pegue minhas coisas
Não dê palpite na minha vida
Não invada minha privacidade
E terá pra sempre uma grande amizade

Posso parecer fria
Posso não te ligar
Mas sou um doce
Se não me contrariar

Sou capricorniana, mas
Eu tenho coração, coração,
Coração!



domingo, 29 de janeiro de 2017

Alma cigana

Letra: Desirée Veloso
Melodia: Ernesto Reimann

Moro longe de casa
Tao perto das estrelas
Numa meia água incandescente
No pé de um rabo de cometa
Meus pés tocam a lua
Quando me vejo descalça
De alma pura e sonhos bons
Minha conhecida "Toda Nua"
Os sonhos vão fluindo
Alma de poeta sem parada
Longe longe é minha estrada
Os sonhos vão fluindo
Alma de poeta nessa estrada
Longe longe sem parada
Moro numa esquina qualquer
Perto de uma estrela
Num beco de ventos
Ou num rodapé
Moro longe de casa
Em qualquer página amarelada
Num reboque de Horizonte
Sou poeta da madrugada